quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

AS POSSIBILIDADES DO ABC NA FINAL

JOGO DECISIVO: POTYGUAR/CN x ABC (Domingo 17hs no Bezerrão)

01 - Vitória do ABC
Classificação garantida independente de qualquer resultado das outra equipes. Será primeiro colocado em caso de empate no jogo entre América x Coríntians. Qualquer outro resultado neste jogo o ABC ficará em segundo.

02 - Empate do ABC
Só se classifica em caso de derrota do Coríntians e desde que o Baraúnas não vença o Alecrim por mais de um gol de diferença.

03 - Derrota do ABC
Estará fora da decisão

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Felipe Augusto: “Os dirigentes são uns patifes”

Fonte: Tribuna do Norte
Júnior Santos

O advogado Felipe Augusto disse estar atento às várias irregularidades que estão em andamentoPresidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio Grande do Norte, o advogado Felipe Augusto disse estar atento às várias irregularidades que estão em andamento dentro dos clubes e do futebol potiguar. Ele protesta contra o fato da Federação Norte-Riograndense de Futebol estar permitindo o início de partidas sem a presença de ambulâncias no estádio e denuncia que em jogos realizados entre clubes do interior, sequer há a presença de um médico em campo, uma condição essencial para realização de uma partida de futebol. Em tom desafiador, o advogado também denuncia a relação promíscua entre os dirigentes e os empresários de futebol, que arrancam dinheiro do atleta usando os mais diversos tipos de expediente. Denuncia a diretoria do América de prática irregular, ao obrigar seus jogadores a assinar um documento de rescisão de contrato em branco, no ato da assinatura do contrato de trabalho e diz estar preparando duas ações judiciais em favor de Hércules e Diogo, ressaltando inclusive que houve a falsificação da assinatura dos atletas no documento de rescisão. Mas as polêmicas não param por aí.

Como anda a relação do advogado Felipe Augusto com os clubes? Elas são explosivas e chegam até a acusá-lo de tentar convencer os atletas a colocarem os clubes na Justiça.

Jamais fui a CT do América ou de qualquer clube buscar cliente. Eles é que me procuram, os jogadores já chegam em Natal sabendo quem eu sou da luta que tenho para defender os direitos deles.
O jogador de futebol é desinformado com quanto aos direitos dele em relação aos clubes?

São desinformados sim, a maioria deles não sabem nada em relação aos direitos.
Quais são as práticas mais cruéis em termos contratuais?

Os clubes daqui estão com uma praxe reprovável de obrigar o atleta a assinar um documento de rescisão contratual no ato da assinatura do contrato. Isso aconteceu com o América e já estou com dois casos autorizados a ingressar com uma ação judicial para tentar inverter essa rescisão.

 
Essa prática é ilegal?

Lógico que é. Você usa o seu poder de superioridade na relação patrão x empregado a se submeter aquele tipo de vexame. Se o atleta não aceitar assinar, não consegue o contrato.

 
Como é que o jogador deve agir diante disso?

Na iminência de ter o contrato negado, ele deve assinar, mas sabendo que quando for demitido poderá buscar os seus direitos na Justiça, onde o advogado tentará desfazer essa prática abusiva. No caso de Hércules e Diogo, ambos do América, já estou autorizado a tentar reverter essa prática nefasta na Justiça Trabalhista.

Teve alguma peculiaridade no caso desse dois jogadores do América?

No caso de Diogo e Hércules foi apresenta a rescisão deles e depois de 26 dias é que foi apresentado o contrato. O problema nesta caso é que para os olhos da lei, dá a impressão que os atletas foram quem pediram demissão. Ele perde o resto do contrato pela metade e mais a cláusula penal, que está sendo discutida, mas que eu entendo que é devida ao jogador. Além disso, existe também o Fundo de Garantia.

 
Existem outros tipos de ilegalidades como prática comum nos clubes?

Uma das práticas mais comuns e que continuam a fazer é assinar a carteira de trabalho com o valor diferente do salário que realmente é pago ao atletas. Para estes casos eu indico que os atletas recebam o pagamento e façam o depósito bancário para que se constituam num meio de prova no momento de se ingressar com uma ação trabalhista.

 
Os clubes costumam se defender alegando que fazem isso porque a parcela maior do salário é paga em direito de imagem. Isso não é legal?

Direito de imagem também é salário, é uma forma de fraudar. Do jeito que eles estão fazendo é uma clássica fraude ao contrato de trabalho, o ordenamento jurídico vigente não prestigia esse tipo de procedimento. Direito de arena? Também é salário.

 
Tudo isso deve constar então na carteira de trabalho?

Tem que está tudo registrado, tudo que o atleta percebe de luvas, bicho, esse mal fadado direito de arena, o próprio salário, a verba in natura para quem recebe auxílio aluguel. Tudo isso é salário, o pior é que os clubes sequer assinam as carteiras dos seus profissionais, que configura outra fraude. Como advogado e presidente do Sindicato dos atletas eu invoco os órgãos competentes a realizar uma grande fiscalização nos nossos clubes. Por tratar-se de contrato especiais com prazo determinado, eles são obrigados a assinar a entrada e a saída dos seus empregados e não reter o documento dos profissionais.

 
Esse procedimento acarreta algum tipo de ilegalidade?

Ele assina a entrada, deixa no clube sem dar sequer um recibo ao jogador, quando o atleta vai buscar e se não aceitar o que lhe foi proposto, os dirigentes retem o documento do atleta e depois dizem que o jogador simplesmente não apresentou a carteira de trabalho ao clube.

 
Como deveria ser esse procedimento de acordo com a lei trabalhista?

O jogador teria de entregar a carteira, receber um recibo do clube e 48 horas depois ir pegar o documento já assinado pelo clube. Esse procedimento deve ser participado com os demais colegas, pois caso seja necessária uma tutela juridicional eles possam falar a favor ou até contra o companheiro. É assim que tem que ser.

 
Como é que se resolve isso, basta o clube querer se profissionalizar mais?

Deveria fazer isso, mas os nossos clubes ainda estão naquela de fazer o jogador assinar contrato com uma rescisão em branco, isso é uma tremenda sacanagem. Isso vai contra a CLT, o clube não pode fazer um contrato com um jogador e esse por não jogar bem ele mandar embora.

 
Mas, isso não seria como uma espécie de justa causa, uma defesa dos clubes neste mercado louco do futebol?

Não isso não é motivo de justa-causa, só os motivos relacionados no artigo 482: ato de improbidade, embriaguez, abandono de emprego e outros, menos má produção. O risco neste caso é do patrão, do clube, da empresa de um modo geral. Pode ser do atleta em caso de embriagues, indisciplina. Neste caso tem que se buscar a justiça para que essa prática seja tornada unilateral por culpa exclusiva do empregador, jamais do atleta. Se ele provar que assinou a rescisão forçada, sob algum tipo de ameaça, a mesma será caracterizada como coercitiva.

 
Tem mais algo que não costuma vazar para a imprensa?

A lei que regula o trabalho de atleta profissional de futebol é clara. Diz que os contratos e distratos devem ser assinadas de próprio punho pelos jogadores. No caso do América isso não ocorreu. Eu tenho os contratos de Diogo e vou provar que o meu cliente não assinou a rescisão e que a assinatura dele foi fraudada por um rapaz chamado Glauco. Vou provar que essa rescisão assinada no dia 29 de janeiro foi ilegal.

 
Mas, isso também não é muita ignorância dos jogadores, não?
É.

 
Também não seria um pouco de má-fé dos ditos empresários do futebol?

O problema do empresário hoje é que eles se fazem de dirigente. É por isso que eu não tenho um atleta empregado em clube algum. Eu não posso defender os interesses do meu atleta e do clube ao mesmo tempo, o empresário depende do clube. Tem vários empresários atuando em Natal que não gostam de mim, porque ele joga o rapaz no clube, recebe o dinheiro do clube, divide com o dirigente na grande maioria das vezes e depois quando o atleta e jogado para fora do clube eles ficam procurando encaixá-los em outro lugar para evitar futuras ações trabalhistas.

 
Mover ações trabalhistas contra os clubes, não fecham as portas para os atletas?

E vai ficar sem receber? Arturzinho entrou com uma ação contra o América e depois esse mesmo América foi atrás dele. Tem outros tantos casos de jogadores que foram recontratados depois de acionarem os clubes judicialmente. Isso é comum no futebol. No futebol do RN tem vários casos.

 
O que você acha da classe dirigente dos clubes potiguares?

Com as exceções de praxe, a maioria é formada por patifes. Usam a imprensa para promoção pessoal, os clubes para roubar e os atletas para afogar os seus recalques por não ter conseguido um dia se tornar um jogador profissional. Isso é o que eu acho.

 
Você se arriscaria dizer nomes?

Eu cito o nome de um como injustiçado, Judas Tadeu. O ABC em que pese as injustiças sofridas por Judas, ele não errou por irresponsabilidade, mas por amar demais. Eu acho que ele não caiu na real ainda e não entendeu que a razão deve ser maior que a paixão. Por causa disso, o ABC só vai começar a pagar as dívidas de 2009, de forma mais efetiva, a partir de abril. O que foi pago até aqui foi besteira. Eles tem a mim como o cão tem a cruz. Eu já fui obrigado a deixar o Machadão num camburão da PM porque os torcedores não entendem que as dívidas dos clubes são feitas pelos próprios dirigentes.

 
A relação clube x atleta continua sendo brutal?

O atleta só é patrimônio do clube quando está no auge e rendendo bem. Quando machuca vai para o INSS e passa a receber o salário registrado em carteira, que é bem pequeno. Ai é um tal de gente passar fome e se desesperar, existem vários atletas nessa situação. Ben-Hur que ganhava R$ 16 mil no ABC, hoje recebe mil reais do INSS e mais uma quantia de quatro ou cinco mil por fora, está sendo muito injustiçado e é contra isso que eu brigo.

 
Ben-Hur manifestou o interesse de colocar o ABC na Justiça?

Não, eu apenas o orientei e espero que deem um jeito na situação dele, para que depois o atleta não venha a ficar como o maior prejudicado nessa história. Prejudicado Ben-Hur já está. Neste caso o melhor é haver uma negociação, quando não se paga apenas o que está na carteira e nem aquilo que foi acertado com o atleta. Os dirigentes daqui não podem ser encarados como dirigentes.

 
Como ex-presidente, como você vê a atuação do Tribunal de Justiça Desportiva no Rio Grande do Norte?

O TJD precisa passar por uma grande faxina. Depois que saí, constatei que o órgão é uma grande fonte de arrecadação de dinheiro. Isso tudo passa pelo enorme jogo de interesse que circula pelos seus pares, com raríssimas exceções, como o doutor Francisco Honório, Mirocem Ferreira Lima, Raimundo Nonato Fernandes e José Gomes da Costa. O Tribunal precisa ser comandado por pessoas desse nível. A qualidade do Tribunal está muito baixa. Existe uma insegurança jurídica muito grande.

O mandato de presidente do TJD tem a duração de um ano. Você passou apenas seis meses. Qual foi o motivo da sua saída?

Minha saída se deu pelo simples fato de que comecei a notar que os julgamentos eram cartas marcadas. Decidi deixar a presidência no dia em que um dirigente ligou para mim às 7h, dizendo que o julgamento estava empatado. Como meu voto seria o decisivo, ele me ligou pedindo minha “ajuda”. Isso, o julgamento iria acontecer só a tarde. Foi aí que percebi que não valia a pena continuar como presidente do Tribunal.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

TORCEDOR RECLAMA DA EQUIPE DO ABC

De: edson horacio
Assunto: futebol


O presidente Rubens Guilherme em suas entrevistas as emissoras de radio sempre tem dito que os jogadores que foram contratados darão muitas alegrias a nós torcedores do ABC, que são jogadores desconhecidos porém com muita vontade de vencer, eu quero dizer ao nosso presidente Rubens que só a boa vontade não é suficiente pra se ganhar no futebol.

Alem de ter boa vontade tem que ter um pouco de técnica e isso infelizmente a maioria dos jogadores do ABC não tem.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

BLOG CENSURA COMENTÁRIO: CADÊ A LIBERDADE DE IMPRENSA?

O nosso amigo e parceiro Alexandre Costa, foi muito feliz no comentário publicado em seu blog: http://blogarcosta.blogspot.com/ .
Os blogueiros de Natal e em especial, os blogueiros da Rádio Globo, acham-se no direito de criticar, (fala mal mesmo), e as vezes  chegam mesmo a ser grosseiros em seus comentários.
Atacam a todos porém tomam o devido cuidado de não  ferir os seus protegidos (ou protetores?).
Os dois blogs mais acessados do Rádio Globo travam uma batalha entre si, todos que acompanham os comentários destes senhores donos da verdade, já perceberam que "o que um diz, o outro contradiz".
A briga já chegou até a discutir a posição dos jogadores.
Um deles comentou na TV União que o ABC jogou retrancado com 3 volantes: Marquinhos, Bileu e Nino.
O outro respondeu na Inter TV Cabugi. "Quero avisar que Nino não é volante e sim MEIA (repetiu a afirmação para a reporter que o entrevistava).
Para um, a nova direção faz tudo errado e fala sempre em defesa da gestão anterior.
Para o outro a nova direção vai no caminho certo e foi um dos maiores criticos da direção anterior.
Cadê a tão propalada liberdade de imprensa?
Qualquer comentário que for enviado para estes blogs que não seja para apoiar o comentário do blogueiro é devidamente censurado.

Vejam abaixo o comentário do blog de Alexandre Costa
O monstro da censura está no jornalismo natalense!

"Temos que nos mobilizar!

Nunca deixaremos a constituição ser burlada por monstros!
Viva o povo brasileiro!"

Essa são frases preconizadas por jornalistas do Brasil inteiro. Notícias, materias e propagandas em televisão estão sendo veiculadas do perigo da volta da censura à imprensa.

Mas ela está ai, já, impondo limites. E o mais curioso, incoerente e irônico é que essa mesma imprensa é quem faz censura! Contradição total, não?

Eu tenho sido censurado em comentários feitos aos blogs da Rádio Globo.

Lá existe a moderação. Mas a moderação, no meu entender, é para se excluir, separar difamações, palavras de baixo calão, e não pensamentos opostos. Pensamentos, idéias divergentes só enriquecem o debate.

A moderação na Rádio Globo está sendo usado como censura, da mais podre possível!

Isso não dá!
Então vou usar os termos usados pelos jornalistas:
Temos que nos mobilizar
Nunca deixaremos a constituição ser burlada por monstros!
Viva o povo brasileiro!