terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

DONO DO PEDAÇO

Dono do pedaço, sex, 24/02/12

por tiagomedeiros Fonte:
http://globoesporte.globo.com/platb/futebolnordestino/2012/02/24/dono-do-pedaco/




No Rio Grande do Norte não há espaços ao questionamento: no cume do monte da soberania o ABC sente o vento beijando seu rosto e escancaradamente gargalha insuflando os pulmões de orgulho.

Antes que qualquer torcedor do Mecão ranja os dentes cobrando respeito, eu os peço que não tomem a situação como uma ofensa e, sim, encontrem no resígnio a compreensão para o momento.

Aos inflexíveis, o desafio: e como não?

E se insistem, confrontem os inclementes números: dois anos de invencibilidade, sete jogos, com um mixuruca empate e seis vitórias alvinegras – sendo as ultimas quatro de forma consecutiva.

Na minha terra, isso é um vareio, cabível de uma denuncia por bullying.

O último ‘acoite’ delas no primeiro jogo da decisão do primeiro turno do Potiguar, 1 a 0, em Goianinha, novo lar do América.

A hegemonia, fermentada de dois anos para cá, estabeleceu uma confortável distancia entre os dois donos de uma rivalidade infinitamente maior que o cajueiro de Pirangi. Agora são 167 vitórias abcedistas contra 159 do Dragão.

Uma disparada promovida exatamente quando os dois clubes entraram em sentidos contrários na forma de conduzir seus projetos e com o América escolhendo a contramão da história.

Não é à toa que há nove anos o torcedor do América anda com o grito de campeão entalado na goela e que o Mais Querido não só amealhou cinco estaduais como bordou acima de seu escudo uma conquista nacional, a Série C de 2010.

Que América aprenda, cresça vendo a grama do rival cada vez mais esverdeada.

Uma ‘parda’ inveja cai bem essas horas.

Um galo era bem mais pertinente com o mascote do ABC nessas alturas.

O Mais Querido vem cantando como tal no RN.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

ESTRANHO COMPORTAMENTO DO PALMEIRA

Assistindo ao comentário de Marcos Lopes sobre o Palmeira, não entendi o porque do comentarista dizer que o técnico foi inteligente armando a equipe taticamente fechada para enfrentar o ABC.

Ora, se e somete se, com a vitória o Palmeira conseguiria a classificação, então que plano inteligente é este que não se arriscou a vencer o jogo e consequentemente conquistar uma vaga na semifinal.

Foi até estranho, uma equipe que precisava ganhar para conquistar seu objetivo (classificação ou tirar o ABC da jogada?), em determinados momentos do jogo chegou até a fazer cera, retardando o andamento do jogo.